Teste Hipo-Osmótico (THO)

É um teste que avalia a integridade funcional da membrana plasmática dos espermatozoides, e o transporte de água através da mesma. Baseia-se na observação de que espermatozoides cujas membranas estão íntegras absorvem água, quando expostos à uma solução hiposmolar em relação ao meio intracelular, e são capazes de manter um gradiente osmótico, enquanto aqueles com membranas lesadas não o fazem.

Neste teste, os espermatozoides com membranas íntegras, e portanto vivos, exibem “inchaço” da cauda quando colocados em uma solução hiposmolar (150 mOsm) em relação ao meio intracelular, e tais alterações morfológicas podem ser apreciadas à microscopia de contraste de fase. Por outro lado, espermatozoides cujas membranas plasmáticas estão lesadas não apresentam capacidade osmo-reguladora e, conseqüentemente, não exibem o inchaço da cauda.

Embora o THO tenha sido originalmente descrito como um teste de função espermática, correlacionando-se com os resultados do teste de penetração em óvulos de hamster, outros estudos não confirmaram tal propriedade. Atualmente, o THO tem sido utilizado como um teste de vitalidade espermática, com a vantagem de não utilizar qualquer corante. Nós também temos utilizado este teste para identificar espermatozoides que embora imóveis sejam viáveis, nas técnicas de injeção intracitoplasmática (ICSI).

A presença de apenas espermatozoides imóveis após a ejaculação pode ocorrer quando os mesmos são retirados do testículo, nos indivíduos com azoospermia (ausência de espermatozoides) de causa não-obstrutiva, na síndrome de imotilidade ciliar, e após a vibroestimulação ou a eletroejaculação nos paraplégicos.

Última atualização: Março 2013
Aprovado por: Dr Sandro Esteves – Diretor Clínico