* Taxas de Sucesso

 

Os resultados da reversão de vasectomia dependem de vários fatores. Um deles é o intervalo entre a vasectomia e a reversão. Se a reversão for realizada até 3 anos após a vasectomia, 98% dos indivíduos irão apresentar espermatozóides de volta à ejaculação (patência cirúrgica) e 75% irão engravidar suas esposas; no intervalo de 3 a 8 anos, 88% de patência cirúrgica e 55% de gravidez; de 9 a 14 anos, 79% de patência e 45% de gravidez e, finalmente, acima de 14 anos de obstrução, 71% de patência e 31% de gravidez. Portanto, quanto menor o intervalo entre a vasectomia e a reversão, melhores serão os resultados. Mesmo assim, é importante saber que é possível ter sucesso nos casos de vasectomias realizadas há mais de 14 anos. 

 

 

Outro fator que influi nos resultados refere-se ao local onde a anastomose (recomunicação) é realizada. Na reversão de vasectomia, a recomunicação pode ser realizada no mesmo local da vasectomia (entre as duas extremidades do canal deferente), ou entre o canal deferente e o epidídimo, que como você já sabe é o local de armazenamento dos espermatozóides. Quando a anastomose é realizada entre os canais deferentes, a cirurgia torna-se mais fácil, pois o calibre do canal é maior, e os resultados são melhores. Esta cirurgia chama-se vaso-vasostomia. 

 

Entretanto, quanto maior o tempo que o indivíduo permanece vasectomizado, maior a chance de ocorrer obstruções ao nível do epidídimo. A chance de se encontrar obstrução em qualquer ponto do epidídimo é de 20% quando o intervalo entre a vasectomia e a reversão varia de 9 a 14 anos, e de 27% após 15 anos de obstrução. Nestes casos, é necessário a realização da anastomose entre o canal deferente e o epidídimo. Esta cirurgia chama-se vaso-epididimostomia, e é muito mais difícil do que a recomunicação entre os canais deferentes, pois o calibre dos tubos do epidídimo é muito menor.

 

Pelo fato das taxas de sucesso da vaso-epididimostomia serem inferiores àquelas da vaso-vasostomia (vide tabela com os resultados da vaso-epididimostomia), nós oferecemos a possibilidade da criopreservação (congelamento) dos espermatozóides aspirados do epidídimo durante a cirurgia. No caso de falha da vaso-epididimostomia, que pode ocorrer em até 50% das vezes, é possível realizar a fertilização "in vitro" (ICSI) a partir dos espermatozóides criopreservados, sem ter que submeter o paciente a um novo procedimento para obter espermatozóides do epidídimo.

 

 

autor(es) ano no. pacientes patência (%) gravidez (%)
Fogdestam, Fall, Nilsson
1986
41
85
37
Silber
1987
139
78
56
Fuchs
1991
39
60
36
Schlegel & Goldstein
1993
107
70
31
Thomas
1993
153
76
42
Matsuda
1994
26
81
42
Esteves (ANDROFERT)
1999
29
71
45

 

 

Ultimamente, nós temos realizado uma técnica de reversão de vasectomia, chamada técnica de triangulação . Esta técnica é particularmente indicada nos casos mais difíceis e quando o intervalo entre a vasectomia e a reversão é maior que 9 anos. A técnica de triangulação possibilita a recomunicação entre o canal deferente e o epidídimo de maneira mais rápida, simples e eficaz.


Androfert - Centro de Referência para Reprodução Masculina - Todos os Direiros Reservados